CANTANHEDE :: COIMBRA :: LEIRIA
geral@psicologaclinicacristinacabral.pt
Close
geral@psicologaclinicacristinacabral.pt
Terapia de Reciclagem Infantil

Psicoterapia Cognitivo Comportamental Infantil e T.R.I.

Trata-se de uma abordagem da psicologia que tem por objetivo facilitar o bom desenvolvimento psíquico da criança, com o compromisso de ajudar a família a interagir e a participar de todos os processos de aprendizagem pelos quais a criança passará, e, promover o bom relacionamento entre pais e filhos e a sociedade.

As crianças podem, de fato ter grandes problemas. Não é porque são pequenas que devemos menosprezar o seu sofrimento psíquico, ele existe e impede-as de viver uma vida saudável e feliz.

Ao longo do seu percurso de vida muitos podem ser os fatores desencadeantes de uma crise na criança: a morte ou doença de algum membro da família, a separação dos pais, o nascimento de um irmão, problemas na escola, bullying e muitos outros.

Deste modo, intervenções bem estruturadas abreviam o tempo do processo terapêutico e promovem resiliência nesta importante etapa da vida.

A T.R.I. é a forma abreviada de “Terapia de Reciclagem Infantil” que significa: Trabalhar as Emoções; Reciclar os Pensamentos e Inovar os Comportamentos. É um dispositivo psicoterapêutico formado por duas modalidades de intervenção: a primeira utilizada para o tratamento de contextos clínicos como depressão e ansiedade e a segunda como elemento preventivo para trabalhos em grupo em instituições escolares, centros de saúde ou grupos comunitários.

A T.R.I. é composta na sua estrutura fundamental por três instrumentos denominados como ferramentas de acesso à criança: Baralho das Emoções, Baralho dos Pensamentos e Baralho dos Comportamentos. Tais instrumentos sustentam os princípios básicos que as psicoterapias cognitivas implicam, possibilitando, deste modo, uma psicoterapia e um modelo preventivo nas bases cognitivo comportamentais.

Ela foi desenvolvida no intuito de formalizar uma intervenção do início ao fim do processo psicoterapêutico com a criança, levando em conta que protocolos de infância, de um modo geral, são parciais e direcionados a um funcionamento psicopatológico específico.

Nos dias de hoje as pesquisas científicas apontam cada vez mais para a importância do desenvolvimento emocional, ou seja, a capacidade da regulação das emoções, bem como das cognições e comportamentos na promoção de resiliência e consequentemente saúde mental.

Atualmente este modelo faz parte das nossas clínicas – Consultórios de Psicologia e Psicoterapia Dra Cristina Cabral englobando protocolos integrados de pesquisa e eficácia, com elevado sucesso excedendo as expetativas.

BARALHO DAS EMOÇÕES (insere-se a criança no trabalho clínico)

Instrumento que visa o trabalho psicoeducativo com as crianças e adolescentes acerca do reconhecimento, evocação, verificação de intensidade e frequência de ativação das emoções, bem como da adequação entre emoções e respostas comportamentais. Ajuda o desenvolvimento da empatia e consequente incremento de socialização.

BARALHO DOS PENSAMENTOS (reciclando ideias, promovendo consciência)

Instrumento que visa trabalhar com a criança e com o adolescente a relação existente entre os pensamentos, ou seja, a interpretação, os processos cognitivos derivados das emoções e a relativa consequência na manutenção de emoções e comportamentos negativos. O instrumento possui também um mapeamento cognitivo das principais cognições associadas às emoções consideradas básicas como: alegria, amor, tristeza, raiva, medo e nojo e a relação das mesmas com as principais patologias de humor e ansiedade na infância e adolescência.

BARALHO DOS COMPORTAMENTOS (o efeito bumerangue)

Instrumento que visa trabalhar com a criança e o adolescente o espectro dos comportamentos derivados de pensamentos que ajudam e que não ajudam. O comportamento é aqui entendido e relacionado ao processamento emocional e cognitivo apontado nos instrumentos anteriores. Serão trabalhadas classes comportamentais no intuito de desenvolver comportamentos mais cooperativos e com maior índice de empatia e socialização.