CANTANHEDE :: COIMBRA :: LEIRIA
geral@psicologaclinicacristinacabral.pt
Close
geral@psicologaclinicacristinacabral.pt
Terapia de Grupo

Este tipo de psicoterapia baseia-se numa terapia que tem objetivos bem esclarecedores e um potencial terapêutico primordial, nomeadamente no que diz respeito à adaptação na vida em sociedade.

É efetuada por um psicoterapeuta. Pode ser Psiquiatra ou Psicólogo e possuir formação psicoterapêutica reconhecida e idónea, validada pela Sociedade Potuguesa de Grupanálise que tem reconhecimento internacional.

Trata-se de um processo terapêutico de sessões em grupo (até 8 elementos) de 90 minutos, com uma periodicidade semanal ou quinzenal.

 Indicações para psicoterapia de grupo

  • Perturbações ansiosas e /ou depressivas
  • Conflitos laborais e dificuldades na adaptação à vida profissional
  • Conflitos familiares
  • Problemas na relação de casal (infertilidade, conjugalidade, parentalidade, infidelidade, sexualidade, monotonia, etc.)
  • Stresse
  • Lutos (perdas de familiares – pais, filhos; amigos, colegas)
  • Fobias e outros sintomas psiquiátricos
  • Insegurança, baixa auto estima, timidez excessiva
  • Problemas de identidade e/ou orientação sexual
  • Problemas do comportamento e/ou agressividade
  • Perturbações psicossomáticas diversas
  • Dificuldade na integração em grupos sociais
  • Dificuldades na intimidade/ sexualidade

Vários estudos demonstram que a psicoterapia de grupo, para certos indivíduos é mais eficaz do que a psicoterapia individual e que muitos pacientes relutantes ao tratamento individual ou com má resposta respondem favoravelmente ao tratamento em grupo.

Nesta modalidade terapêutica a comunicação é máxima através de meios que não exclusivamente o verbal, porque os elementos do grupo estão sentados em círculo, vendo-se mutuamente.

Muitos dos pacientes que nos procuram apresentam em comum a dificuldade da relação com o outro (família, trabalho, relação conjugal, etc.). Será num contexto de grupo que estes conflitos e dificuldades vão ser mais facilmente recriados, (ou revivenciados transferencialmente no aqui e agora) fornecendo uma nova oportunidade para ser ensaiada uma alternativa de funcionamento mais adaptativo – o tratamento.

De igual modo é importante referir que existe nesta modalidade terapêutica uma redução considerável dos custos do tratamento (relativamente à psicoterapia individual), com as vantagens de potenciação terapêutica e amplificação que resulta da multiplicação pelos elementos do grupo de fenómenos de espelhamento, reconhecimentos, gratificações, enriquecimento de conteúdos e diferentes perspetivas. Constitui-se uma rede de comunicação (matriz) aonde vai fluir a comunicação.

Relativamente às regras básicas, os elementos do grupo devem ser desconhecidos entre si antes de entrarem para o grupo e não podem contatar fora do contexto das sessões. São expressamente proibidos contactos físicos durante as sessões. A verbalização é estimulada.

A orientação para as diversas modalidades psicoterapêuticas não contempla regras gerais rígidas. Para cada caso deve ser feita uma avaliação personalizada que pode implicar uma consulta prévia em que avalia aspetos da personalidade do paciente (funcionamento relacional, carácter, temperamento, limites do eu, tendência para passagem ao ato, capacidade de cumprir regras, etc.), disponibilidade (geográfica, horários, económica) e motivação.

Este processo terapêutico ajuda à reestruturação de uma personalidade mais saudável e adaptada à vida em sociedade.