CANTANHEDE :: COIMBRA :: LEIRIA
geral@psicologaclinicacristinacabral.pt
Close
geral@psicologaclinicacristinacabral.pt
Distúrbios Alimentares

Os distúrbios alimentares são um conjunto de doenças, em que uma pessoa está tão preocupada com a comida e o seu peso que muita das vezes não consegue pensar noutra coisa. Os principais tipos de distúrbios alimentares são a anorexia nervosa, bulimia nervosa e compulsão alimentar.

Comuns na fase da adolescência e no começo da adulta, esses distúrbios estão relacionados a uma série de consequências psicológicas, como ansiedade e pressões sociais para o chamado ‘corpo perfeito’.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Associação Americana de Psiquiatria, um por cento da população mundial – cerca de 70 milhões de pessoas – sofrem com transtornos alimentares.

Embora esses distúrbios sejam mais frequentes com pessoas do sexo feminino, com faixa etária entre 12 e 25 anos, no Reino Unido, um estudo feito pelo Serviço Nacional de Saúde (NHS – sigla em inglês) mostrou um aumento de 67% em homens entre 26 e 40 anos. Os especialistas que realizaram o estudo concluíram que uma parte considerável desses transtornos alimentares está ligada às redes sociais.

Pessoas com depressão, ansiedade e transtorno obsessivo-compulsivo estão propensas a um distúrbio alimentar.

 

Fatores de Risco

  • Culto excessivo ao corpo
  • Maus hábitos alimentares
  • Distorção da imagem corporal
  • Autoestima baixa
  • Sentimento de culpa
  • Questões hormonais
  • Distúrbios emocionais

Tudo isso está ligado às seguintes condições: saúde psicológica, sociocultural, biológica e genética.

 

Alguns Tipos

  • Anorexia Nervosa
  • Bulimia Nervosa
  • Transtorno de Compulsão Alimentar
  • Transtorno da Compulsão Alimentar Periódica (TCAP)

 

ANOREXIA NERVOSA

Pacientes diagnosticados com anorexia nervosa autoavaliam-se com excesso de peso – ainda que estejam abaixo do peso ideal. Exercício físico exagerado, uso indevido de laxantes, diuréticos, entre outros, fazem parte da rotina do paciente com anorexia nervosa.

 

Sintomas

  • Peso corporal extremamente baixo (perda de massa e gordura)
  • Restrição alimentar severa
  • Falta de vontade para manter um peso normal e saudável
  • Preocupação em não ganhar peso
  • Distorção da imagem corporal
  • No caso das mulheres, inibição do ciclo menstrual.
  • Gastrite
  • Descamação e pele seca
  • Hipotermia
  • Anemia

 

Tratamento

O primeiro passo é hidratar organismo. A Assistência de um psicólogo, clínico e terapias, além de medicamentos, faz parte das indicações de tratamentos para a anorexia nervosa. A participação e apoio da família é fundamental para um bom resultado.

 

BULIMIA NERVOSA

Pessoas diagnosticadas com bulimia nervosa comem em grande quantidade. Vômitos forçados, uso de laxantes e diuréticos, jejum e exercícios físicos excessivos, está na rotina de quem é portador desse transtorno alimentar. Esses comportamentos podem ocorrer em qualquer lugar e em várias vezes na semana e ao dia.

O que diferencia a bulimia da anorexia nervosa é que uma boa parte dos pacientes conseguem preservar o peso que é considerado saudável pelo Índice de Massa Corporal (IMC).

Sentimentos de vergonha e desprazer está no comportamento do bulímico, por isso a execução das práticos costumam ocorrer em segredo.

 

Sintomas

  • Inflamação e dor de garganta
  • Problemas nas glândulas salivares, como inchaço na região do pescoço e da mandíbula
  • Erosão do esmalte dentário devido ao ácido do estômago, em decorrência dos vômitos
  • Descomodidade intestinal e irritação devido ao abuso de laxante
  • Desidratação grave da purga de fluidos
  • Desequilíbrio de eletrólitos (níveis muito altos ou muito baixos de sódio, cálcio, potássio, entre outros)
  • Sangramento retal, quando utilizado laxantes

 

Tratamento

  • A participação da família também é indispensável. O paciente precisa sentir que não está sozinho e que sua família não sente vergonha da situação e quer verdadeiramente ajuda-lo a sair desse problema.

 

TRANSTORNO DE COMPULSÃO ALIMENTAR

A compulsão é dos distúrbios alimentares mais comuns. Pode ser visto em pessoas que perdem o controlo sobre o consumo de alimentos. Ao contrário da bulimia e anorexia nervosa, as pessoas com transtorno compulsivo, após os períodos de compulsão alimentar, não seguem comportamentos compensatórios (como exercício físico excessivo ou jejum).

 

É comum os pacientes geralmente terem sobrepeso ou obesidade. O fator preocupante é que eles são as pessoas com maiores riscos de desencadear doenças cardiovasculares e pressão arterial elevada. Sentimentos como culpa, vergonha e angústia são recorrentes numa situação de compulsão alimentar, sendo sentimentos que podem levar a uma maior desequilíbrio e compulsão excessiva.

 

Tratamento

Para um tratamento com bons resultados também é o diagnóstico precoce. Um clínico, psicólogo e nutricionista são um dos especialistas indicados como recursos terapêuticos; e assim como os demais, a interação da familiar é primordial.

 

Tratamento para os Distúrbios Alimentares

A terapia cognitiva comportamental é uma intervenção breve, semiestruturada e orientada para metas, que tem sido amplamente utilizada nos centros de pesquisa e tratamento de transtornos alimentares.

Várias experiências clínicas avaliaram a eficácia da terapia cognitivo comportamental, indicando que ela favorece a remissão ou diminuição da frequência de episódios de compulsão alimentar, dos comportamentos purgativos e da restrição alimentar. Tem sido relatada também melhoria do humor, do funcionamento social e diminuição da preocupação com peso e forma corporal.